O oculto e o revelado...


"As coisas ocultas pertencem ao Senhor nosso Deus, mas as reveladas são para nós e nossos filhos para sempre" (Dt 29,28). Que palavras, essas da Escritura Santa; sempre me comoveram! Neste mundo, nesta vida há tantas realidades que não conseguimos compreender; tanto nos acontece, ocorre ao nosso redor e nos deixa com a sensação de vazio, de absurdo, de total falta de sentido! São tantos os por quês e os para quês! Tantas perguntas; tão parcas respostas! Pobres filhos de Adão e filhas de Eva! Nem toda a ciência, nem todo o progresso tecnológico conseguirão elucidar o mistério da existência e os tantos enigmas que a povoam! Não me refiro aos pequenos mistérios das incríveis leis da natureza... Esses são mistérios menores... Refiro-me àqueles grandes, indecifráveis: Por que existimos? Para que vivemos? Qual o sentido de tudo? Por que a dor, o amor, a sede danada de felicidade, realização e plenitude? Qual o sentido último da história humana? Qual o sentido daqueles que mal nasceram e já morreram ou, ainda nascituros, foram arrancados criminosamente do ventre materno? Qual o sentido dos que passam a vida sofrendo, alquebrados pelas tremendas vicissitudes da existência? Por quê? para quê? Que sentido? Que consolo saber que há um Deus no céu: "As coisas ocultas pertencem ao Senhor nosso Deus!" Ele tudo sabe, Ele tudo pode, Ele tudo tem nas Suas mãos benditas. E isto me basta! E eu, que nem criança manhosa, descanso Nele, repouso no Seu coração divino, amoroso e sábio e me abandono docemente nas Suas mãos carinhosas. Não sei; Ele sabe. Não posso; Ele pode. Não compreendo. Ele tem tudo em Suas mãos providentes. "As coisas ocultas pertencem ao Senhor nosso Deus!" não a ti, homem teimoso e orgulhoso e gostas de brincar de ser Deus e não passas de um ídolo bobo!

"Mas, as reveladas são para nós e nossos filhos para sempre!" Eis! O que realmente importa que saibamos, o que realmente nos salva e basta para dar sentido à vida, o Senhor nos revelou, são para nós e para que ensinemos àqueles que virão depois de nós! O Senhor não nos revela aquilo que não nos pertence. O Senhor não nos dá satisfação! Revela-nos o essencial, o suficiente para que compreendamos que Ele é presença, que é amor, que é Deus fiel. Basta! Aquilo que nos revelou não é para matar nossa curiosidade, mas para nos comprometer com Ele, no seguimento da Sua santa vontade. Seus preceitos não são um fardo, mas setas que indicam o caminho da vida e descortinam, pouco a pouco, para quem se põe a segui-Lo, o sentido verdadeiro, simples e profundo da existência. Por isso mesmo, valem aquelas duas bênçãos presentes no judaísmo, e que tanto me comovem: a primeira: "Bendito sejas Tu, Senhor nosso Deus, que guardas os segredos!" a segunda: "Bem-aventurados somos nós, ó Israel, pois a nós foram reveladas as coisas que agradam a Deus!" (Br 4,4)

Dom Henrique Soares da Costa, 
Bispo Titular de Acúfica e Auxiliar de Aracaju.

Nenhum comentário:

Postar um comentário